Introdução 

Entre as décadas de 20 e 40, surgiu e desenvolveu-se, em alguns países da Europa, o fascismo. Era um sistema político, econômico e social que ganhou força após a Primeira Guerra Mundial, principalmente nos países em crise econômica (Itália e Alemanha). Na Itália, o fascismo foi representado pelo líder italiano Benito Mussolini. Na Alemanha, Adolf Hitler foi o símbolo do fascismo, que neste país ganhou o nome de nazismo.

Este sistema terminou com a derrota do Eixo (Alemanha, Itália e Japão) na Segunda Guerra Mundial (1939-45).

Principais características e ideias do fascismo:

– Totalitarismo: o sistema fascista era antidemocrático e concentrava poderes totais nas mãos do líder de governo. Este líder podia tomar qualquer tipo de decisão ou decretar leis sem consultar políticos ou representantes da sociedade.

– Nacionalismo: entre os fascistas era a ideologia baseada na ideia de que só o que é do país tem valor. Valorização extrema da cultura do próprio país em detrimento das outras, que são consideradas inferiores.

– Militarismo: altos investimentos na produção de armas e equipamentos de guerra. Fortalecimento das forças armadas como forma de ganhar poder entre as outras nações. Objetivo de expansão territorial através de guerras.

– Culto à força física: Nos países fascistas, desde jovens os jovens eram treinados e preparados fisicamente para uma possível guerra. O objetivo do estado fascista era preparar soldados fortes e saudáveis.

– Censura: Hitler e Mussolini usaram este dispositivo para coibir qualquer tipo de crítica aos seus governos. Nenhuma notícia ou ideia, contrária ao sistema, poderia ser veiculada em jornais, revistas, rádio ou cinema. Aqueles que arriscavam criticar o governo eram presos e até condenados a morte.

– Propaganda: os líderes fascistas usavam os meios de comunicação (rádios, cinema, revistas e jornais) para divulgarem suas ideologias. Os discursos de Hitler eram constantemente transmitidos pelas rádios ao povo alemão. Desfiles militares eram realizados para mostrar o poder bélico do governo.

– Violência contra as minorias: na Alemanha, por exemplo, os nazistas perseguiram, enviaram para campos de concentração e mataram milhões de judeus, ciganos, homossexuais e até mesmo deficientes físicos.

– Antissocialismo: os fascistas eram totalmente contrários ao sistema socialista. Defendiam amplamente o capitalismo, tanto que obtiveram apoio político e financeiro de banqueiros, ricos comerciantes e industriais alemães e italianos.

 

Algumas consequências:

– O número de ministérios foram diminuídos (para se liberarem dos fiéis funcionários ao estado liberal).

– A liberdade de imprensa foi abolida e todos os meios de comunicação de massa eram controlados.

– Mussolini, para erradicar o movimento operário e camponês aboliu o direito da greve, acabou com os sindicatos e substituiu com as corporações.

– Em 1929, Mussolini conciliou o estado italiano com a igreja, renunciando ao estado laico.

– A Itália fascista educava as mulheres a serem puramente reprodutivas. Filhos para a pátria, planos para a fertilidade, para dar soldados à guerra. Reprodução: único dever das mulheres privas de direitos. Mulheres que marchavam nas exibições públicas somente porque deviam demonstrar a grande beleza e saúde das mulheres durante o “império” italiano.

– A impossibilidade de se divorciar, a proibição do aborto e tantas mulheres morrendo por abortar clandestinamente.

– O ius corrigendi, aquilo que dava ao pai o direito de espancar a mulher e filhos e o vis grata puella, princípio pelo qual se um começa a beijar ou assediar alguém deve consequentemente “terminar o feito”, tendo assim o direito ao estupro.

O fascismo na atualidade:

Embora tenha entrado em crise após a Segunda Guerra Mundial, alguns aspectos da ideologia fascista ainda estão presentes em alguns grupos e partidos políticos. Na Europa, por exemplo, existem partidos políticos que defendem plataformas baseadas na xenofobia (aversão a estrangeiros).

Na Itália atual, diversos grupos fascistas levantam a bandeira do: não direito à emigração, racismo institucional, perseguição danosa à pessoas que praticam diferentes religiões, a volta das escolas que separam meninos de meninas, funções e profissões de gênero impostos. Por não falar da proibição da união homossexual, de adoção ou nascimento nas famílias homossexuais. Mulher como mãe e esposa, mulheres submissas. Bullismo homo/transfóbico e institucional às pessoas LGBT.

Leia mais:

Le conseguenze del fascismo, sulla nostra pelle

Fascismo, origine e conseguenze , O fascismo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here